Ortodoxia (Cl√°ssicos MC) (Portuguese Edition) por G. K. Chesterton

Ortodoxia (Cl√°ssicos MC) (Portuguese Edition)
Titulo del libro : Ortodoxia (Cl√°ssicos MC) (Portuguese Edition)
Fecha de lanzamiento : January 1, 2013
Autor : G. K. Chesterton
N√ļmero de p√°ginas : 247
ISBN :
Editor : Mundo Crist√£o

Ortodoxia (Clássicos MC) (Portuguese Edition), Descargar ebook en línea Ortodoxia (Clássicos MC) (Portuguese Edition) Gratis, lectura gratuita de Ebook Ortodoxia (Clássicos MC) (Portuguese Edition) En línea, en línea, que aquí se puede descargar este libro en formato PDF de forma gratuita y sin la necesidad de gastar dinero extra. Haga clic en el enlace de descarga de abajo para descargar el Ortodoxia (Clássicos MC) (Portuguese Edition) PDF gratis.


G. K. Chesterton con Ortodoxia (Cl√°ssicos MC) (Portuguese Edition)

O marco do pensamento crist√£o do s√©culo XX. "Chesterton (1874-1936) faz neste livro uma autobiografia espiritual, em que o n√ļcleo da cren√ßa crist√£ se apresenta como suficiente arcabou√ßo para conferir sentido √† exist√™ncia humana." - O Estado de S√£o Paulo. "Um s√©culo depois de sua apari√ß√£o, o livro mant√©m todo o seu frescor e novidade." - Marcelo Coelho (Folha de S√£o Paulo). "Um verdadeiro 'tour de force', em termos de intelig√™ncia e de humor." - Moacyr Scliar (Folha de S√£o Paulo). "Publicado em 1909, Ortodoxia √© a melhor s√≠ntese de seu pensamento sobre a religi√£o." - Revista Veja. "Leiam, por amor √† intelig√™ncia, Ortodoxia, que acaba de ser relan√ßado pela editora Mundo Crist√£o." - Reinaldo Azevedo. "Uma eloq√ľente apologia do cristianismo contra as filosofias e doutrinas do in√≠cio do s√©culo XX." - O Globo. "O ensa√≠smo de Chesterton me atrai por sua arte argumentativa." - Daniel Piza (O Estado de S√£o Paulo). Numa √©poca em que a Europa dava os primeiros passos para tornar-se uma sociedade p√≥s-crist√£, um intelectual de grosso calibre, cansado do cinismo reinante e do fasc√≠nio despertado por novas id√©ias, resgata o n√ļcleo da f√© crist√£ como arcabou√ßo suficiente para dar sentido √† exist√™ncia humana. Ao contar sua jornada espiritual, G. K. Chesterton faz saber √† intelligentsia europ√©ia da primeira metade do s√©culo XX que o socialismo, o relativismo, o materialismo e o ceticismo estavam longe de responder √†s questes existenciais mais profundas. E quando questionado sobre as aparentes contradi√ßes da f√© crist√£, Chesterton era um mestre em valer-se do paradoxo para apresentar a simplicidade do senso comum. Seu jeito despojado, seu estilo incisivo e a facilidade de rir de si mesmo tornaram c√©lebres seus debates com intelectuais da √©poca, como George Bernard Shaw, H.G. Wells, Bertrand Russell e Clarence Darrow. Dono de uma pena arguta, sutil e envolvente, Gilbert Keith Chesterton deixou marcas inesquec√≠veis em mestres da literatura como Hemingway, Borges, Garc√≠a M√°rquez e T. S.